Seu navegador não suporta javascript.
Portal do Governo Brasileiro
Aumentar Contraste Diminuir Fonte Aumentar Fonte

  
Notícias
Nome insinuante da pílula do dia seguinte induz mulheres a erro
26/09/2005
imagem transparente

Medicamento está nas farmácias em versões como Poslov, POZATO, DIAD e Previdez 2. Para médicos, nomenclatura dá idéia errada para as pacientes sobre forma de utilizar método

Pílulas do dia seguinte vendidas nas farmácias com nomes insinuantes estão levando as mulheres a uma idéia totalmente errada sobre a real eficácia e as formas corretas de utilização do método. São medicamentos com nomes como Poslov, POZATO, Previdez 2 e DIAD. Segundo os médicos e o próprio Conselho Regional de Farmácia, a nomenclatura das pílulas passa para as mulheres a sensação de que o medicamento deve ser usado toda vez depois do sexo ou simplesmente que previne a gravidez.

Poslov, POZATO E DIAD passam a sensação de que o medicamento deve ser usado logo após o sexo. “Poslov dá a idéia de após uma noite de love (amor em inglês)”, lembra o ginecologista Abner Lobão Neto, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O mesmo acontece com POZATO E DIAD. Já Previdez 2 passa a idéia de prevenção da gravidez, o que também está errado já que a pílula do dia seguinte não pode ser usada como método anticoncepcional.

A pílula do dia seguinte ou contraceptivo de emergência é um método que serve apenas para situações esporádicas. Como o próprio nome diz, o medicamento deve ser usado apenas em emergências (quando a camisinha estoura,nos casos de esquecimento do uso do preservativo ou até estupros).

Para Francisco Caravante, presidente do Conselho Regional de Farmácia, a venda desses produtos é absurda. “Pela lei, medicamentos não podem ter nomes que possam induzir o paciente a erro”, afirma Caravante. “Se esses produtos estão no mercado com esses nomes é porque a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou”, afirma Carvante. “Nomes sugestivos devem ser proibidos”, completa Caravante.

Segundo o ginecologista César Eduardo Fernandes, como o atendimento nas farmácias é feito sempre por um balconista, essa percepção do nome é ainda mais flagrante. “O próprio balconista é levado a erro e pode repassar ainda mais essa idéia para a cliente que está comprando o produto”, acredita. “Como as pessoas tendem a se consultar com os amigos, o erro é disseminado. Esses nomes realmente podem levar a mulher a encarar esses remédios como uma medida rotineira, o que não é verdade.”

Para os médicos, a pílula do dia seguinte, cuja as vendas cresceram sete vezes em quatro anos, já são usadas de forma errada. “As pílulas já são usadas indiscriminadamente, por exemplo, pelas adolescentes”, avalia Lobão Neto.
 
Fonte: Idec
 
 
Nossas notícias são retiradas na íntegra dos sites de nossos parceiros. Por esse motivo, não podemos alterar o conteúdo das mesmas até em casos de erros de digitação.


Fonte: Idec

Nossas notícias são retiradas na íntegra dos sites de nossos parceiros. Por esse motivo, não podemos alterar o conteúdo das mesmas até em casos de erros de digitação.
imagem transparente





Voltar
Notícias relacionadas
CLIPPING DO PORTAL



Gostaria receber o clipping?


Parceiros Parceiros Parceiros Parceiros Parceiros