Seu navegador não suporta javascript.
Portal do Governo Brasileiro
Aumentar Contraste Diminuir Fonte Aumentar Fonte

  
Notícias
Riscos e responsabilidades na hora do aluguel
05/01/2007
imagem transparente

Os negócios no setor de imóveis no litoral paraibano para a alta estação estão de vento em popa neste ano. Conseqüetemente aumenta também, além do faturamento, os riscos de reclamações quando não há clareza e transparência no contrato entre o inquilino e o proprietário do imóvel, até porque um grande número dos interessados, os locatários, desconhecem seus direitos e deveres.

Por descuido dos inquilinos, dúvidas persistem para o consumidor quando o assunto é aluguel para uma temporada entre elas estão, por exemplo, de quem é a responsabilidade pelas contas de energia e água, fiança por depreciação do imóvel, duração do contrato, além das vantagens e desvantagens de aluguel de imóvel por temporada.

Os especialistas recomendam que o principal é não alugar um imóvel baseado em acordos verbais, mas em contrato que elucida dúvidas e evita problemas futuros. Quanto aos responsáveis pelas contas de água e energia, por exemplo, o corretor de imóveis Wandelan Farias afirma que depende do acerto no contrato entre o locador e o dono do imóvel. Ele sugere duas modalidades nesse item. “Na primeira, o locador pede um valor que já inclua tudo como aluguel, consumo de água e energia onde o aluguel poderá ficar mais caro em relação ao preço inicial”. Outra opção, segundo Farias, é no dia da entrega das chaves. “Anota-se a numeração do contador e do medidor e no dia da entrada do inquilino e no final da temporada calcula o valor do consumo”, explica o corretor que reitera a importância da transparência do contrato para ambas as partes. Outro instrumento que deve servir ao dono do imóvel é o laudo de vistoria, que ajudará a comprovar o estado do imóvel antes e depois da temporada e deixa claro no contrato qual é o destino do aluguel. “Pode acontecer do inquilino utilizar para outros fins”, alerta.

O turista que costuma alugar imóvel sem antes vê-lo, corre mais riscos. “Jamais o inquilino deve fechar um negócio sem ver o imóvel. É um risco grande dele ser vítima até de um golpe”, frisou o empresário de imóveis Wanderlan Farias, que lembrou de um caso recente na capital onde um corretor vendeu o mesmo imóvel a quatro pessoas diferentes. Uma dica importante para o inquilino é que jamais deve se alugar um imóvel sem conhecê-lo. “Exigir recibo, laudo de vistoria, verificar se está tudo funcionando no imóvel, conferir se o endereço do local é o mesmo que está sendo alugado e oferecido, antes de entrar, são informações importantes”, esclarece Wanderlan ao acrescentar que se para o proprietário é mais uma renda no período, “para o inquilino, além de mais espaço privativo, sai às vezes mais barato do que reservar um hotel ou pousada, apesar de manter uma casa de praia não ser nada barato”, frisa.

Fonte: jornal da Paraíba

Nossas notícias são retiradas na íntegra dos sites de nossos parceiros. Por esse motivo, não podemos alterar o conteúdo das mesmas até em casos de erros de digitação.



Fonte: jornal da paraíba

Para acessar o site jornal da paraíba, clique aqui.

Nossas notícias são retiradas na íntegra dos sites de nossos parceiros. Por esse motivo, não podemos alterar o conteúdo das mesmas até em casos de erros de digitação.
imagem transparente





Voltar
Notícias relacionadas
CLIPPING DO PORTAL



Gostaria receber o clipping?


Parceiros Parceiros Parceiros Parceiros Parceiros